Cabeçalho

Home Sobre Contato Parcerias Image Map

Translate

domingo, 30 de outubro de 2016

Halloween: filmes clássicos de terror

Olá galera do mal, tudo bem? Em homenagem ao dia de amanhã, o Halloween, que é muito especial para nós góticos, eu resolvi fazer um post com indicações de filmes clássicos de terror pra assistir e se borrar de medo mesmo. Preparados?

O Iluminado (1980)

Sinopse: Durante o inverno, um homem (Jack Nicholson) é contratado para ficar como vigia em um hotel no Colorado e vai para lá com a mulher (Shelley Duvall) e seu filho (Danny Lloyd). Porém, o contínuo isolamento começa a lhe causar problemas mentais sérios e ele vai se tornado cada vez mais agressivo e perigoso, ao mesmo tempo que seu filho passa a ter visões de acontecimentos ocorridos no passado, que também foram causados pelo isolamento excessivo.

A Cidade do Horror (Horror em Amityville) (1979)

Sinopse: 13 de novembro de 1974. Em Amityville, um pai, uma mãe e os filhos foram assassinados sem motivo aparente, por um dos filhos do casal. Um ano depois a casa é habitada pela família Lutz, que gradativamente descobre que o novo lar é possuído por um espírito demoníaco. Assim eles passam a conviver com um medo da morte cada vez maior.

O Exorcista (1973)

Sinopse: Em Georgetown, Washington, uma atriz vai gradativamente tomando consciência que a sua filha de doze anos está tendo um comportamento completamente assustador. Deste modo, ela pede ajuda a um padre, que também um psiquiatra, e este chega a conclusão de que a garota está possuída pelo demônio. Ele solicita então a ajuda de um segundo sacerdote, especialista em exorcismo, para tentar livrar a menina desta terrível possessão.

O Silêcio dos Inocentes (1991)

Sinopse: A agente do FBI, Clarice Starling (Jodie Foster) é ordenada a encontrar um assassino que arranca a pele de suas vítimas. Para entender como ele pensa, ela procura o periogoso psicopata, Hannibal Lecter (Anthony Hopkins), encarcerado sob a acusação de canibalismo.

A Profecia (1976)

Sinopse: Um diplomata americano preocupado em não chocar a esposa, em virtude da morte do seu filho ao nascer, lhe oculta o fato e adota um recém-nascido de origem desconhecida. Mortes misteriosas começam a cercar a família do homem, que sem saber, pode estar criando o AntiCristo em pessoa.

Quem ai vai fazer uma maratona aterrorizante? Pega a pipoca (e a bíblia, hahahahaha) e boa sorte!

- XOXO 

quinta-feira, 20 de outubro de 2016

Minhas cantoras favoritas

Olá pessoal, tudo bem? O assunto do post de hoje é o melhor: música... Mas especificamente, cantoras. Vou contar para vocês quais são as minhas cinco cantoras favoritas da vida e também aproveitar a oportunidade pra deixar umas músicas bacanas para vocês - não escolhi necessariamente minha favorita de cada uma, mas futuramente posso fazer posts individuais contando quais são as músicas que eu mais gosto de cada cantora, combinado? 


Já faz mais ou menos uns seis anos que eu sou fã da Taylor e eu simplesmente amo essa mulher e todas as músicas que ela faz. Acho que provavelmente nunca ninguém vai tirar ela dessa posição especial de minha cantora favorita da vida toda.


Eu ouço Avril desde que eu era bem pirralha (uns 7 ou 8 anos de idade) e algumas músicas dela realmente me ajudaram em certos momentos difíceis e tudo mais, então claro que ela é bem amorzinho da minha vida (apesar de estar meio sumida... Alô, Avril, cadê o cd novo?).


A bonequinha fofa (que agora tá meio ousada, mas ainda fofa) que eu amo desde Victorious e que só está melhorando a cada álbum... Ariana Grande, a rainha dos gritos! Lembro quando ela lançou o primeiro single, Put Your Hearts Up, e eu cantava o dia todo hahahahaha.


Melhor amiga da Taylor, deusa da beleza, cantora talentosíssima... O último álbum dela só fez com que eu me apaixonasse mais ainda, porque, sério galera, o Revival é uma obra de arte do início ao fim. Uma música melhor que a outra e essa voz maravilhosa. Selena te amo!

Agora sério, eu não tenho nem palavras pra descrever meu amor pela Halsey. Não faz tanto tempo assim que comecei a ouvir as músicas dela e ela já está no meu top 5 de cantoras favoritas. As letras dela são de outro planeta, não é possível, dá até uns arrepios.

Agora, me contem ai, quais dessas cantoras vocês também gostam e quais são as suas favoritas?


- XOXO

quinta-feira, 13 de outubro de 2016

Desculpa


Desculpa, eu não te amo mais. Pra ser sincera, arrisco dizer que nunca te amei. Por alguns meses me prendi na ideia de finalmente ser amada do jeito que sempre quis, mas infelizmente nunca consegui retribuir de forma completamente recíproca o seu sentimento. Já era tempo de te libertar. 

Me sinto culpada por ter te usado por todo esse tempo. Mas por outro lado vou embora com a consciência limpa, certa de que nunca fiz nada para te machucar... Além de te deixar, claro. Mas partir seu coração assim de modo tão repentino foi um mal necessário. Necessário para mim e para você, ambos presos nesse não amor; provavelmente feito mesmo para não durar muito tempo. 

Preciso ser honesta. Confesso que nunca amei seu olhar, apenas o jeito que me olhava; nunca amei os seus braços ou seu peito, apenas o jeito que me segurava forte junto a ti. Eu amava a ideia de te ter, mas nunca gostei nem um pouco de ser possuída por você. Não acho que seja preciso citar porquês ou numerar motivos, pouco importa se meu pensamento o tempo todo estava em outra pessoa, nada muda o fato de que eu simplesmente fui incapaz de te amar.

Sim, você sempre foi muito bom para mim; isso é um fato inegável. Você foi compreensivo, carinhoso, me respeitou sempre e cuidou de mim da melhor forma que pôde. Sempre vou me lembrar disso. Você nunca causou problema, e eu te agradeço por isso. Os meses que passamos juntos foram pacíficos e por várias vezes eu realmente cheguei a pensar que te amava. Mas, pra falar a verdade, acho que eu nunca fui do tipo de pessoa que gosta de calmaria.

Do fundo do meu coração, te peço desculpas; mas não por não te amar. Me desculpa por ter sido covarde durante todo esse tempo e te prender no meu meio sentimento. Eu sei que você pode encontrar alguém que te ame muito, na mesma intensidade que você me amou. Você é uma pessoa fácil de amar; mas eu não sou de amar fácil.

domingo, 9 de outubro de 2016

Série: Designated Survivor

Oi galero, tudo certo com vocês? Mais uma resenha de série nova e, olha, já me arrisco em dizer que até agora essa foi a que eu mais gostei. Sério, me conquistou fácil fácil, e provavelmente vai conquistar muita gente ainda. Bora com a resenha e quem sabe conquiste você também.


Sinopse: Kiefer Sutherland está de volta ao horário nobre da TV americana como Tom Kirkman em um thriller conspiratório, que mostrará a visita do presidente da nação a casa de um servidor público, Kirkman no caso, depois de um ataque desastroso ao Capitólio Nacional em Washington. Tom terá que, então, lutar para proteger seu país e sua própria família de viver no extremo caos.

Como praticamente todas as outras série da fall season, eu não tinha lido a sinopse de Designated Survivor e nem sabia qual era o assunto da série. 
Me surpreendi muito quando assisti o primeiro episódio e descobri que a série se tratava de um drama político cheio de tensão e conspirações - porque só pelo nome eu nunca iria imaginar isso.
A trama te prende e o tempo parece voar enquanto você assiste. Realmente dá pra sentir a tensão de toda da situação, por alguns momentos eu chego até a esquecer que é apenas ficção. 

Por enquanto é uma das minhas favoritas dessa fall, pois conseguiu me conquistar logo no primeiro episódio e já quase me fez chorar no segundo. A ABC encomendou uma temporada completa com 22 episódios, e eu espero que a qualidade ao menos continue a mesma porque acredito que se for desenvolvida do jeito certo essa série tem um ótimo (e longo, tomara) futuro pela frente.

- XOXO

Série: The Good Place

Olá pessoal, tudo bem? Começando as resenhas de séries novas, o que será praticamente uma maratona de posts porque tem muita série boa pra resenhar, escolhi a comédia "The Good Place", que me conquistou logo de cara e... bom, vamos pra resenha né.


Sinopse: Eleanor é uma mulher do Arizona que... morre. Ela vai parar no "bom lugar", onde a felicidade é eterna e todo mundo é bom. O problema é que ela não é quem eles acreditam, e não acha que deveria estar lá, e vai fazer de tudo para tentar descobrir se é ou não uma pessoa boa ou ruim.

As vezes eu fico meio com o pé atrás em relação às séries novas de comédia e chego a assistir até uns 5 episódios antes de decidir definitivamente se vou ou não continuar, mas The Good Place foi bem fácil de decidir. Eu adorei o tema da série, toda essa coisa de o que acontece depois da morte, e adorei o jeito que a série abordou tal tema fugindo do tradicional. 

Além de ser engraçada e ter bons personagens, acho que também tem muito o que nos ensinar a respeito de moral, porque, apesar de usar o mesmo preceito comum de que quem é bom vai para um "bom lugar" depois da morte, a série se diferencia do usual mostrando que todas as suas atitudes, até mesmo as consideradas insignificantes, contribuem na avaliação de uma pessoa como boa ou não.
Depois de ter assistido alguns episódios eu posso falar com certeza que a série tem muito  potencial, e eu queria muito que ela tivesse a repercussão que merece e fosse renovada.

- XOXO

Assine o feed e receba as novidades no seu email